Arquivo

Archive for the ‘Coisas Minhas’ Category

Sentenças

abril 8, 2008 4 comentários

“Quando eu nasci um anjo só baixou, falou que eu seria um executivo. E desde então eu vivo com meu banjo executando os rocks do meu livro, pisando em falso com meus panos quentes, enquanto você ri no seu conforto, enquanto você me fala entre dentes: poeta bom, meu bem, poeta morto”.

Só mais uma referência ao Zeca, mas essa eu faço questão de dizer cadenciadamente ao pé do teu ouvido, com meu corpo caído sobre o teu, sentindo as tuas costas cansadas e suadas com todo amor e ódio plantado dentro de mim: “Tudo que é peito sangra”.

A vida é mesmo assim, vá entender.

Anúncios
Categorias:Coisas Minhas

Eu, fragmentos e a certeza de (quase) nada

outubro 28, 2007 3 comentários

Depois de aproximadamente trezentas páginas, nenhuma relação com o nosso passado – graças a Deus – porém, qualquer identificação pessoal e o desalento.

“e naquele relâmpago de lucidez teve consciência de que era incapaz de aguentar sobre a sua alma o peso esmagador de tanta coisa acontecida. Ferido pelas lanças mortais das tristezas próprias e alheias, admirou a impavidez da teia de aranha nas roseiras mortas, a perseverança do mato, a paciência do ar na radiante manhã de fevereiro.”

Só mais uma coisa. Se eu não terminar num palco como portagonista de uma tragicomédia, faço disso um samba e/ou um roteiro de um filme. E tenho dito.

Categorias:Coisas Minhas